sexta-feira, 30 de maio de 2014

Qué um gólim?

Pai...estou precisando um espaçosinho aqui junto a teus pés.Não representa muito espaço pela fragmentação do meu ser que, já minúsculo se amontoa aqui em tantos pedaços junto a Ti.
Sei que é Tua a ordem que moeu meu orgulho e te sou tão grata por isso!Poque de quê outra forma me tornarias melhor?
Minha pressa e preocupação porém foi suplicar o favor do teu Bendito Espírito Santo que viesse com sua Onisciência ajudar-me a reunir, sem perder de vista, nem mesmo um único caquinho desse meu ego.
E agora aqui junto aos teus preciosos e pés, considera teu próprio amor na obra que executas em mim...e não permitas que meu eu se agigante outra vez.Que Tua ternura jamais desista de me aperfeiçoar com as ferramentas que Teu Senhorio desejar.Assim, nessa insistente e incessante obra seja teu nome eternamente Glorificado na excelência desse lodo que formam agora o pó que me compõe e as lágrimas que teu querer de mim exprime.
Assina: Esse pequeno amontoado de barro.
Adriane Monteiro   a sentir-se de coração contrito porém lúcido!

Nenhum comentário:

Postar um comentário