segunda-feira, 29 de julho de 2013

SONHO QUE TIVE MUITO FORTE


Eram aproximadamente duas da manhã acordei trêmula com o impacto da visão que me veio em sonho.

Vi numa dessas decidas na BR da Fazenda pra Curitiba o sol se pondo e um poeirão levantando...em tempo acostei o carro que eu dirigia pra cima do meio fio na grama seca. Pq a poeira que levantava era de muitos carros capotando um por cima do outro e se eu freasse os de trás me acertariam tbm. Carros grandes rodavam no ar ates de cair...veículos modelos novos e velhos tentando escapar sem êxito e empacotando um por sobre os outros e todos incendiavam.
O vale ficou reto, plano de carros batidos e incendiados. Criou uma casca por cima como plásticos secos encarvoados com algumas partes abertas saindo fumaça muito quente e dando a mostra de veículos em baixo vermelho em fogo derretidos. O fogo era vivo inflamado de plástico e num desses buracos vi um homem em desespero citar dois nomes de dois obreiros da nossa IEAD em Fazenda Rio Grande e dizia”- Meus Deus esse é o carro do fulano e do beltrano...agora é só uma bola de fogo em baixo dessa crosta. Meu Deus! Meus Deus!” (Conheço as pessoas supracitadas.) Os gritos de quem chegava era de intenso terror...Uma jovem crente tbm com a mãe ímpia dizia “Agora vc crê mãe?” pelo que esta mãe respondia “Sim filha isso é dedo de Deus não posso negar” a mesma moça perguntou “Mãe vc vai trabalhar?” Não filha diante dessa tragédia tão grande não me vejo capaz de ir para o trabalho” e todos estávamos muito abalados. Acordei com o hino que o grupo de coreografia "Mirian"cantou no nosso congresso sobre a nossa cama “ A igreja vêm!!!” Depois com muito temor compartilhei com meu esposo Célio Robertoesse sonho (fato raríssimo) e tremia com muito temor meditando na referencia lida nessa manhã de domingo (Genesis 11. 5 parte a): “Então desceu o Senhor para ver a cidade”
Busquei no Google uma foto para mais ou menos ilustrar o solo.
Vou voltar pra cama e tentar conciliar o sono...minha carne sente 
extremo temor pela interpretação desse sonho.
Adriane Monteiro .29/07/13