quarta-feira, 12 de maio de 2010

O VERNIZ DA VAIDADE


• A infidelidade, a ambição, o orgulho, a política de força, os votos quebrados, a imoralidade, as polêmicas; querem invadir nossos ministérios. Como não poderão ser aceitos com esses nomes e efeitos especulam áreas da nossa mente num afã de conquistar seus objetivos, usando voz do nosso ego.
• Mesmo quando nossa é a melhor das intenções, corremos o sério risco de sermos atropelados pelas tentações, sob a sugestão das obras da carne contra nossa vocação.
• Há grande perigo em acreditar nos aplausos, aceitar recompensas e admirar homenagens.
• Ressentimentos e aversão a críticas é um claro indício de orgulho, síndrome de superstar.
• Estou convencida de que a incisiva revelação da humildade pode nos servir de lanterna poderosa, nessa negra noite, rumo à carreira proposta a cada um de nós.
• Quando atingimos nossos objetivos, não temos por isso um gerador próprio de potencial, somos alvo da plena graça de Deus.


A perigosa similaridade entre o zelo e a vaidade
Outro extremo perigoso é o da despretensão. Desconhecer as virtudes dadas por Deus e o não enxugar do equilíbrio central, prejudica a boa intenção para com as coisas de Deus.
• Moisés e os leprosos Arão e Mirian
• A vara de Arão que floresceu
• Herodes comido de bichos
• Nabucodonozor e o capim

• O conhecimento e a revelação profunda são ferramentas necessárias para um bom trabalho na planilha da humildade.
• Jesus glorificou o Pai. Jô. 17:1
• A camuflagem dos motivos religiosos (Ez. 28:1-12. Is. 14:13 )
• Vírus do orgulho
• Judas no primeiro capítulo não alude ao grau de parentesco com Jesus
• Marketing, fundo musical e publicidade.
• Raquel e ídolos de seu pai Labão, outro extremo do assunto.


Transporte a arca mas não toque na glória.