quarta-feira, 18 de novembro de 2009

BOM DIA AMIGÃO!


Santo Espírito que bom...
Que bom que já é madrugada, e podemos nos falar de novo, há silencio o bastante para aveludar minha voz para Ti.
Ouça... Eu o amo tanto! Não é um amigo imaginário um diário mudo, é Onipotente, Onisciente, Onipresente, todo poderoso!
Estou descobrindo tanto sobre Ti. Não é uma força, é uma pessoa sensível amoroso querido...
Quero que assista o mais profundo do meu ser através dos meus mais deliberados relatos confidenciais. É meu convidado único de honra a participar dos meus mais ocultos segredos.
Tenho percebido sua presença dentro em mim, e seu poder ao meu redor, Mesmo quando adormeço posso fazê-lo em seus braços... Sinto-me amada. Às vezes tenho a impressão que alguém aumentou a potencia da luz, então abro os olhos e percebo que não foi nada. Deve ser sua essência enquanto rimos...
Mas um dia... Ah, um dia... Não terei dúvidas Vou abrir meus olhos e o Senhor estará ali de frente pra mim, revelado em forma diversa, como fogo, como água, como pomba, ou me farás saber como realmente és.
Fico ansiando pela possibilidade de, nesse corpo terráqueo, usufruir de uma intimidade tão profunda que seja possível te olhar nos olhos enquanto dialogamos. Essa vontade e busca é tão forte que até dói o peito físico e literal, enquanto meu coração parece diminuir. Quando isso é muito forte e insustentável choro muito diante de Ti, um choro saudoso, exigente, carente...
Permito que faças o que quiseres fazer para que essa intimidade seja em sua medida considerada grande. Lembra Bartimeu? Ele queria ver... Abre meus olhos também para a dimensão espiritual onde está teu reino, não para suprires uma mera curiosidade, mas para se apropriares de mim no uso do teu querer me benefício de outros, que como eu te anseiam!
É tarde sinto a fadiga do dia me sugerir descansar o físico, mas até adormecer com pálpebras soltas sobre os olhos vou esperar o sono chegar sorrindo para ti muitas vezes...
Minha condição de amar a ti é limitada pela minha humanidade, mas me permita envergonhada declarar...
Meu primeiro amigo... Eu te amo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário