quarta-feira, 5 de agosto de 2009

CONFERENCISTAS OU "ATENIENSES"


Guardo de Curitiba a imagem de uma verdadeira Atenas.
Grandes e pequenos se apressam em evoluir no conhecimento dando valor excessivo às muitas novidades, escalando duplos degraus se favorecendo do diminuído fluxo de pessoas a medida que essa escada vai se elevando. Apegados novidades de toda a ordem publicam e exploram tais assuntos em nome dos mais variados sentimentos mesmo que os tais não passem de maquiagem para o exercício da maledicência.
Em nome do progresso confundem e desfiguram o propósito de seu chamado, apreciando muito a débil mistura do interesse monetário com o êxtase de um auditório viciado em glorificar mais ao título humano antes do Divino.
A deficiência nem está no exercício da pregação, mas no mau hábito dos colecionadores de altares.
Lamento por mim mesma, cada dia. Refaço envergonhada, o longo caminho de volta em torno da mesma montanha onde a voz trovo ante de Deus nunca se permitiu silenciar nos chamando à santificação... E me rendo às mãos hábeis do oleiro para que dentro de seu propósito me faça uma voz que anuncia o Deus até então desconhecido!(At.17.15-23).